“O PAGF (Prêmio Adelmo Genro Filho) da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) representa, por si só, uma importante iniciativa de reconhecimento das pesquisas desenvolvidas no campo do Jornalismo em nosso país.” A declaração, da pesquisadora Marcia Veiga da Silva, explicita o objetivo da premiação anual da SBPJor; valorizar a atuação individual dos pesquisadores e homenagear o professor e pesquisador Adelmo Genro Filho. Marcia recebeu em 2011 o prêmio de melhor dissertação de mestrado pelo trabalho Masculino, o gênero do jornalismo: um estudo sobre os modos de produção das notícias, desenvolvido no Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), sob orientação da professora doutora Virginia Pradelina da Silveira Fonseca.

A jornalista conta que a pesquisa, que tem a relação jornalismo e gênero como foco central, surgiu de algumas inquietações de sua trajetória de vida, pessoal e profissional, “a partir de uma visão de mundo e de vivências empíricas, que se transformaram no desejo de compreender algumas facetas da sociedade através da ciência”.

Com a experiência de quem atuou como profissional em uma ONG feminista do Rio Grande do Sul, Márcia avalia que, em virtude de a produção científica ser um lugar também marcado pela subjetividade, “é do lugar de mulher, jornalista e brasileira que estranho as relações de poder e as desigualdades que se fundam na cultura e que pouco se transformam, quando comparadas às evoluções tecnológicas do mundo, e continuam a causar exclusão e violências dos mais diversos tipos e intensidades”.

Após dois anos da premiação no PAGF, a pesquisadora conta que o prêmio lhe serviu de incentivo para a continuidade da pesquisa, principalmente por conta de dificuldades eventualmente enfrentadas. Segundo Marcia, o PAGF “chancela e valida e forma indelével” a pesquisa e, por isso, ela se considera privilegiada e honrada com o “importante reconhecimento”.

Atualmente, a pesquisadora está no segundo ano do doutorado, seguindo com o seu interesse de investigar o jornalismo como uma forma de conhecimento; os jornalistas, as práticas jornalísticas e também a formação dos jornalistas, que agora ocupa o centro de suas atenções. Além das questões de gênero que estão presentes como um enfoque importante para pensar as relações de poder, e as relações do jornalismo com a cultura e com os conhecimentos sociais que a norteiam, também em articulação com outros marcadores de diferença (como raça e classe).

A doutoranda também foi contemplada com uma bolsa oriunda do 1º Edital de Enfrentamento à violência contra a mulher, promovido pela CAPES e pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, que, ao selecionar seu projeto de pesquisa de mestrado, possibilitou que ela pudesse se dedicar integralmente ao projeto.

Uma entrevista com Marcia Veiga pode ser conferida no canal da SBPJor. Em breve, a SBPJor publicará o Edital do PAGF 2013, que premiará os melhores trabalhos de pesquisa em Jornalismo; a premiação acontecerá no 11º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, em novembro,em Brasília.