[lang_pt]



A SBPJor, a Fenaj e o FNPJ realizaram, no dia 23 de outubro, uma audiência com o ministro da Educação, Fernando Haddad, em Brasília. O ministro preocupa-se com a qualidade do ensino em jornalismo, enxerga a necessidade de uma reavaliação dos currículos de graduação na área e considera a profissão uma das quatro fundamentais – ao lado de Medicina, Pedagogia e Direito – ao funcionamento do Estado democrático. Haddad reconheceu que o jornalismo é uma área específica de conhecimento e informou que o MEC não pretende formular uma proposta que substitua a formação graduada em jornalismo. “Queremos que os jornalistas continuem sendo formados em cursos de graduação”, garante.

Para rever os currículos de jornalismo, o MEC propõe a formação de uma comissão de especialistas, composta por representantes dos meios acadêmico e profissional. SBPJor, Fenaj e FNPJ poderão indicar nomes para a comissão, encarregada de elaborar um documento a ser encaminhado ao Conselho Nacional de Educação, que deliberaria sobre as novas diretrizes. O MEC estuda também a instituição da “dupla diplomação”. Ao adquirir formação em uma área de conhecimento, seria facilitada a obtenção de uma segunda graduação, o que poderia ser aplicado em alguns campos da graduação, particularmente em jornalismo. Carlos Franciscato, presidente da SBPJor, participou do encontro e considera que “o MEC sinaliza de forma bastante clara que a qualidade no jornalismo passa por uma boa formação acadêmica e que, portanto, necessitamos atuar na melhoria dos cursos de graduação”.



[/lang_pt]