A Diretoria da SBPJor divulgou a formalização de uma nova Rede de Pesquisas vinculada a entidade. A Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas foi proposta pelos pesquisadores Fábio Pereira (UNB) e Aldo Schmitz (UFSC), com o apoio de outros 24 pesquisadores de diferentes instituições do país – todos com participação efetiva nas discussões da Rede. Na solicitação, os proponentes afirmam que os debates sobre a temática já ocorrem nos congressos da SBPJor, a partir de comunicações coordenadas e que “a formalização junto à SBPJor seria um passo natural no fortalecimento da Rede, refletindo, de certa forma, o nosso histórico de participação na Associação e o desejo de estabelecer uma parceria consolidada e duradoura com a entidade”.

A proposta foi avaliada pelo Diretor Científico da SBPJor, Marcos Paulo da Silva, que observou os requisitos regulamentais e deu parecer favorável para a formalização da Rede de Pesquisa. No parecer ele observou que “mesmo ainda não formalizada, a Rede [… mantinha] atividades rotineiras, como a realização constante de Sessões Coordenadas e o desenvolvimento de pesquisas interinstitucionais – o que também satisfaz, ainda que não fosse obrigatório no âmbito de uma Rede não formalizada, os Artigos 6o e 7o do Regulamento”. O parecer foi avaliado e discutido pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Científico da SBPJor, que também aprovaram os procedimentos.

A Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas é a quinta Rede de Pesquisa da SBPJor – que também abriga a Rede de Pesquisa Aplicada em Jornalismo e Tecnologias Digitais (JORTEC), a Rede Narrativas Midiáticas Contemporâneas (RENAMI), a Rede Nacional de Observatórios de Imprensa (RENOI) e a Rede de Pesquisas em Telejornalismo (TELEJOR).

Para a presidente da SBPJor, Monica Martinez, a nova Rede “tem um foco relevante de investigação e já surge com relações internacionais consistentes. Além disso, a formação da nova Rede reforça os esforços da SBPJor na consolidação de grupos transversais de pesquisa e seu estímulo para que as pesquisa sobre Jornalismo desenvolvidas no Brasil tenham visibilidade regional e nacional, mas também internacional”.