Após a pausa para o almoço, a reunião geral com os quatro grupos específicos da Rede SBPJor aqueceu os debates sobre o jornalismo no Brasil. As Redes TeleJor (Rede de Pesquisa em Telejornalismo), JorTec (Rede de Pesquisa Aplicada Jornalismo e Tecnologias Digitais), Renami (Rede de Pesquisa Narrativas Midiáticas Contemporâneas) e Renoi (Rede Nacional de Observatórios de Imprensa), cada qual com a sua sala, debateu assuntos tais como a necessidade de uma base de dados para a organização das pesquisas realizadas.

Pauta em todas as reuniões foram os problemas financeiros que inviabilizam seminários para exposição e debates sobre as pesquisas recentes. Eventos como o SBPJor, além de serem ponto de encontro para os pesquisadores, incentivam a apresentação desses trabalhos, mas os pesquisadores alertam à necessidade de se ter também encontros entre os grupos, além dos grandes eventos, a fim de fomentar e ampliar a discussão científica no país.

Nos desafios da palestra, os membros da Rede também falaram sobre o quão solitário pode ser o ramo de pesquisador. Membros da Renami acrescentaram que casos de trabalhos em grupo, além da cooperação e harmonia no trabalho, facilitam a apresentação em eventos pelo país, uma vez que ao menos um membro possa fazer o deslocamento até o local.

Na reunião da Renoi, um debate em exclusivo foi a necessidade de uma prestação de contas por parte dos meios de comunicação, para que sejam identificados instrumentos e recursos quanto ao serviço prestado. Numa pesquisa sobre essa prestação, os planos são analisar dois jornais por estado do Brasil e três telejornais nacionais. Antigas pesquisas usaram entrevistas todas feitas via Skype.

Em comum, os planos finais de todas as Redes envolvem também a expansão do grupo de pesquisadores membros de outros países como algo crucial ao aprimoramento da pesquisa sobre jornalismo no Brasil.

Texto: Leonardo Santos

Foto: Douglas Heizen